Páginas

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Quem sou eu para julgar', diz Papa sobre gays

O Papa deu a entrevista dentro do avião, em sua viagem de volta para Roma
Foto: AFP
papa Francisco condenou nesta segunda-feira o chamado "lobby gay" do Vaticano durante uma coletiva de imprensa improvisada realizada a bordo do avião que o conduzia do Brasil à Itália, na qual ressaltou que não pretende "julgar" os homossexuais.
"Em um lobby nem todos são bons, mas se uma pessoa é gay, procura ao Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la. O Catecismo da Igreja Católica explica e diz que não se deve marginalizar essas pessoas e que elas devem ser integradas à sociedade", afirmou o pontífice.
O Papa ainda se manifestou a favor de um maior papel das mulheres dentro da Igreja, mas rejeitou categoricamente sua ordenação como sacerdotisas. "Não se pode imaginar uma Igreja sem mulheres ativas", disse o Papa, depois de lembrar que a entidade já se pronunciou contra esta opção: "Esta porta está fechada", reconheceu.